Como ajudar uma pessoa viciada em crack sem imposição

Cenas como as vistas na região central da cidade de São Paulo, na área conhecida como Cracolândia, têm se tornado cada vez mais comuns. O uso da droga tem crescido e como ajudar uma pessoa viciada em crack é um dos maiores desafios da sociedade atual.

Leia tambémComo ajudar pessoas com trabalho voluntário

Números alarmantes no uso de drogas

Antes de mais nada, é importante conhecer alguns dados preocupantes sobre o consumo de crack no Brasil e, principalmente, em São Paulo. 

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o país é o maior mercado mundial da droga.

Pelo levantamento, o Brasil representa 20% do consumo mundial, sendo que 2,6 milhões de brasileiros já usaram pelo menos uma vez. O que responde por 1,4% dos adultos. Já, entre os adolescentes, ao menos 150 mil experimentaram esse tipo de droga - o equivalente a 1%.

Além disso, outra pesquisa mostrou a realidade na Cracolândia. Conforme dados da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, o número de usuários de drogas, na região, saltou 160% entre 2016 e 2017.

O que leva uma pessoa a usar crack?

De acordo com a pesquisa da Secretaria de São Paulo citada acima, as causas que provocam a procura pela droga são diversos. Do total de usuários da Cracolândia, por exemplo, 44,21% fizeram referência aos conflitos familiares como motivadores. Entre esses problemas, estão perdas, divórcios, violência e abandono.

O estudo também mostra o aumento na presença feminina na região. Além disso, indica abusos físicos ou sexuais na infância como o principal motivo para a entrada nas drogas, com 44,1% do total de mulheres relatando os casos.

Como funciona o crack no corpo humano

Para entender como o consumo de drogas tem aumentado, também é preciso saber como a droga age dentro do corpo do ser humano.

O crack, na verdade, é a cocaína misturada a éter e/ou bicarbonato de sódio. Seu perigo está justamente na forma como o organismo absorve a substância. Por ser fumada, a droga age no cérebro de forma muito mais rápida e potente do que a cocaína, quando aspirada.

Ao ser consumido, o crack leva de 8 a 15 segundos para chegar ao cérebro, graças à absorção direta pelos alvéolos pulmonares. São eles que jogam a droga na corrente sanguínea. Para comparação, a cocaína cheirada pode demorar até 15 minutos para fazer o mesmo efeito.

Crack causa dependência rápida 

A dependência causada pelo crack está relacionada ao prazer intenso que a droga proporciona. Isso porque ela aumenta a produção e a liberação de dopamina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer.

Após 10 minutos da tragada, os estoques de dopamina no cérebro são reduzidos. Então, surge a necessidade de consumir mais a droga para que o corpo sinta a mesma euforia alcançada antes. Pronto! Está desenvolvido o quadro de dependência.

Como ajudar uma pessoa viciada em crack?

Para combater este problema, é preciso apoio da família do dependente químico, das autoridades que precisam criar ações de saúde pública e da sociedade como um todo para entender a situação.

Como ajudar uma pessoa viciada em crack requer paciência, cuidado e solidariedade. Veja abaixo algumas dicas para ajudar quem está passando por esta fase:

Compreensão – o primeiro passo é reconhecer que o viciado está doente e não tem um desvio de comportamento. As pessoas ao redor precisam entender que o dependente químico precisa de ajuda, sem nenhum julgamento.

Apoio – é importante procurar um centro de apoio. Tanto familiares quanto os viciados podem encontrar nos centros o suporte psicológico para enfrentar o problema. Diversas cidades já contam com os Centros de Apoio Psicossocial Álcool e Drogas (CAPSad), que oferecem ajuda de forma gratuita.

Rotina – o dependente químico que está na reabilitação precisa de regras. Sem imposição e com conversas, a família deve determinar horários para acordar, dormir e se alimentar. A pessoa precisa reaprender os limites de seus atos.

Trabalho – ocupar a mente do dependente químico é fundamental nesta fase de reabilitação. Como ajudar uma pessoa viciada em crack passa também pelo fato de oferecer um trabalho ou uma ocupação para que o dependente não procure retornar ao vício.

Depoimentos – ouvir a experiência de outras pessoas também é importante. Contar em grupo o que se passou ajuda a fortalecer a luta contra a droga. Grupos como os Narcóticos Anônimos são essenciais para falar e ser escutado.

Persistência – todos os tratamentos têm riscos de recaída. O importante é manter a calma e não gerar cobranças, nem por parte do dependente, nem da família. É fundamental dar apoio e estar ao lado de quem precisa.

Ação social para auxiliar viciados em crack 

Além das dicas de como ajudar uma pessoa viciada em crack, também existem ações para reinserção social de usuários de drogas. A Casa das Mãezinhas, localizada na cidade de São Paulo, é uma delas.

O projeto acolhe mulheres dependentes do vício e seus filhos em situação de vulnerabilidade. Com três unidades, a instituição chega a receber 20 mulheres e oito crianças por casa.

A ação atua na desintoxicação das pessoas viciadas sem o uso de medicamentos psicotrópicos e na reinserção social.

AltruS: voluntariado como forma de inserção

AltruSstartup de tecnologia social, tem como objetivo unir pessoas que querem ajudar, por meio do voluntariado, com instituições que precisam de apoio.

A plataforma apoia diversas causas como: proteção aos animais, assistência social, cultura e educação, direitos humanos e cidadania, esporte, meio ambiente e saúde.

Uma das maneiras de como ajudar uma pessoa viciada em crack é incentivá-la a procurar uma instituição para ser voluntária e, assim, ocupar o seu tempo. São diversos os projetos apoiados. Para ser um voluntário, basta preencher este formulário aqui.

Já as instituições, que atuam no trabalho de reabilitação de dependentes químicos e que precisam de ajuda, também podem cadastrar a sua causa aqui


;
;