Como proteger os animais abandonados e em situação de rua?

Infelizmente, é comum nas cidades brasileiras ver gatos e cachorros abandonados ou em situação de rua. Mas não são só eles: aves e coelhos também acabam abandonados. Por isso, muitas pessoas têm interesse em saber como proteger os animais e ajudar a encontrar um lar para eles.

De fato, é importante que as pessoas entendam como proteger os animais. Até porque o Brasil tem a segunda maior população de cães do mundo. De acordo com o IBGE, são 52,2 milhões, considerando apenas os cachorros que possuem um lar. Além disso, o número de gatos no país chega a 22,1 milhões e as aves somam 37,9 milhões. Enquanto pequenos mamíferos e répteis são 2,21 milhões.

Animais abandonados ou em situação de rua

Por outro lado, não há dados certos sobre o total de animais vivem nas ruas. No entanto, a expectativa é que 70% dos cães e gatos de rua sejam semi-domiciliados. Ou seja, recebem cuidados de pessoas ou da vizinhança, apesar de continuarem sem um lar.

Outros 10% vivem em situação de total abandono. O que sensibiliza principalmente as pessoas mais altruístas e apoiadoras das causas dos animais.

Mas como proteger os animais abandonados?

Pensando no elevado número de cães, gatos e outros animais abandonados, é fundamental saber como proteger os animais. Seja até encontrar um lar ou ficando com ele permanentemente.

Para ajudá-lo, listamos 6 ações que você pode tomar. Confira:

1. Resgate o animal

O primeiro passo é resgatar o animal em situação de rua ou abandono. Essa etapa pode ser difícil dependendo dos riscos, como de atropelamento.

O ideal é se aproximar lentamente do animal. E, caso sinta alguma agressividade, chame alguém com mais experiência para auxiliar.

Em situações de animais presos em árvores, telhados de casas ou rede elétrica, ligue para o Corpo de Bombeiros. A corporação é preparada para retirá-los de locais perigosos.

Leia tambémComo preservar o meio ambiente com atitudes simples?

2. Faça os cuidados básicos

Após o resgate, é preciso tomar certos cuidados básicos com o animal. Isso inclui levar ao veterinário para os primeiros procedimentos, como vacinação, banho, vermifugação, entre outros.

Alguns profissionais são engajados com causas animais e não cobram pelo atendimento em caso de resgate.

Depois, quando retornar para casa, é indicado reservar um local confortável para o animal. Coloque uma roupa ou cobertor velho para ele se proteger e disponibilize água e comida.

3. Procure o dono

Com o animal cuidado e protegido, deve-se perguntar na vizinhança se alguém sabe de onde veio o pet. Em muitos casos, se trata de um animal com família e que está perdido.

Além de conversar na região, as redes sociais também ajudam nesse momento. Afinal, aumentam o alcance da busca, facilitam o reencontro e permitem que mais animais regressem à família.

4. Avalie antes de adotar

Uma das questões mais importantes de como proteger os animais se refere a uma avaliação responsável antes de realizar uma adoção. Por exemplo, se não achar os donos do animal e decidir ficar com ele, lembre que vocês vão passar muitos anos juntos. O que exige planejamento e consciência.

Também vale destacar que os pets exigem responsabilidade, dedicação e cuidados. Por essa razão, só fique com o animal ou doe se tiver certeza que ele será protegido e bem tratado.

Leia tambémComo as ODs atuam para promover causas sociais

5. Castre o animal

Independentemente de ficar com o animal ou doá-lo, é importante que seja feita a castração. Além de minimizar potenciais problemas de saúde, esse cuidado evita a reprodução em situação de abandono, o que deixaria a prole também com uma vida nessas condições vulneráveis.

Muitas vezes, a castração é realizada gratuitamente pela própria prefeitura no centro de zoonoses local. Também podem ser procurados profissionais comprometidos com essa causa e instituições confiáveis.

6. Apoie iniciativas ligadas à causa animal

Caso não possa ficar com o animal, uma opção é procurar por instituições ligadas à causa que tomem conta dele até encontrar um lar. Você também pode se envolver nessas iniciativas, ajudando esse e outros animais resgatados.

Se estiver interessado em participar como voluntário, existem diversas formas de contribuir. A AltruS reúne organizações que precisam de apoio e pessoas interessadas em contribuir, não importa se financeiramente, com trabalho ou doação de produtos.

O projeto Coelha Chica, por exemplo, dá assistência a coelhos em situação de abandono e vulnerabilidade, buscando novas famílias aos animais. Já o projeto Enquanto Houver Chance faz o resgate de todo tipo de animal vivendo nas ruas, cuidando e encaminhando para adoção.

Conheça e participe dessas iniciativas! Basta se cadastrar aqui e selecionar a organização desejada ou a causa social que você procura. Faça parte da rede AltruS acesse agora!


;
;